Segunda semana de pré-temporada 2018 : Ferrari mostra evolução mas Mercedes ainda é favorita



A pré-temporada de 2018 da F1, foi um pouco complicado para as equipes, pois na primeira semana semana enfrentaram um clima bem ruim, com chuva e até neve, o que custou muito para as equipes, já que muitas equipes decidiram reduzir suas atividades. Porém nesta última semana o sol voltou a brilhar no circuito espanhol, fazendo assim com que as equipes começassem as suas preparações para o início da temporada que ocorre no dia 25 deste mês.

Nesta semana quem dominou literalmente a semana foi a Scuderia Ferrari, que só não liderou o sexto dia de testes que acabou ficando com Daniel Ricciardo da Red Bull. Sebastian Vettel cravou o melhor tempo em dois dias, sendo que no último dia que ele assumiu o comando do SF71-H cravou um novo recorde dessa configuração do circuito de Barcelona, ficando assim com o melhor tempo da pré-temporada, enquanto ontem (9) seu companheiro de equipe Kimi Raikkonen cravou o melhor tempo do dia e o segundo melhor de todo a pré-temporada, ficando cerca de 0,050s do tempo de Vettel. A equipe de Maranello que mostrou que SF71-H deverá ser bem mais competitivo que seu antecessor em todos os quesitos, entretanto a equipe ainda tem algumas preocupações como a questão do consumo de combustível, e alguns aspectos do chassi que precisam ser entendidos e melhorados, caso queiram disputar o campeonato com a Mercedes novamente.

A Ferrari além da boa  velocidade, mostrou que seu motor também tem uma boa confiabilidade, eles que completaram nesta última semana 631 voltas, cerca de 150 voltas por dia, o que é muito importante, já que nesta temporada as equipes poderão utilizar apenas 3 unidades de potência.

Fernando Alonso conseguiu surpreender a todos no último dia de testes em Barcelona e cravou o terceiro melhor tempo desta última semana e de toda pré-temporada, juntando as duas Ferrari que até então eram as únicas a cravarem voltas na casa de 1min17s. Mas a Mclaren não teve muito o que comemorar, mesmo trocando a Honda pela Renault, nesta última semana eles voltaram a terem sérios problemas, que custou muito caro, tanto para Alonso quanto para Vandoorne, pois somando as voltas completadas pelos dois pilotos, eles conseguiram um total de apenas 339 voltas e com isso foram a equipe que menos completou voltas nesta última semana de testes. E com isso os fãs da equipe começam a se preocupar pois mesmo trocando de fornecedor a equipe ainda continua tendo problemas e ai vem a grande pergunta será que o problema era a Honda ou a própria Mclaren? E isso só vamos saber nas primeiras corridas desta temporada.

Fechando o top 5 das melhores voltas desta segunda semana e de toda temporada tivemos Red Bull e Renault, com Daniel Ricciardo e Carlos Sainz Jr , com isso dos cinco primeiros tempos, três são de carros que utilizam motores Renault.

A Red Bull que é colocada como uma forte rival nesta temporada de 2018 pela própria Mercedes, e mostrou que tem sim um chassi a altura e até superior a de seus rivais porém o único e grande problema deles é o motor Renault que além da falta de potência em relação aos da Mercedes e Ferrari, ainda sofre com a confiabilidade, e na última semana eles sofreram problemas de motor e com erros de pilotos, como foi o caso de Max Verstappen que acabou indo para o cascalho na quinta-feira enquanto fazia uma simulação de corrida. Entretanto mesmo enfrentando problemas eles terminaram está semana sendo a terceira equipe a completar mais voltas, com um total de 574 voltas, mas daquelas que utilizam o motor Renault, eles foram os que mais conseguiram completar voltas já que a própria Renault fez 522 voltas e a Mclaren 339 voltas.

A equipe Renault que viu  Carlos Sainz Jr fazer o quinto melhor tempo desta segunda semana de testes e Nico Hulkenberg o décimo primeiro tempo,  assim como a Mclaren e a Red Bull, tiveram problema de motor, mas conseguiram atingir uma boa quilometragem fazendo quase 150 voltas por dia, além disso mostraram que o carro deste ano parece ser bem melhor do que o seu antecessor e com isso somado a sua excelente dupla de pilotos eles devem brigar nesta temporada pela quinta e quarta posição na equipe de construtores se o motor não os deixarem na mão.

Além de Fernando Alonso a grande surpresa desta semana foi Kevin Magnussen da equipe Haas, que fez o sexto melhor tempo com os pneus super-macios enquanto os demais a sua frente utilizaram o composto hiper-macio. Magnussen que ficou à 1,2s do tempo de Vettel. Romain Grosjean por sua vez também não ficou longe de seu companheiro de equipe e de pneus ultra-macios ficou com o nono melhor tempo da semana.

A Toro Rosso-Honda voltou a surpreender a todos com a sua confiabilidade, e no último dia Pierre Gasly fez até mais do que completar um punhado de voltas, conseguiu cravar o sétimo melhor tempo da semana. A Honda até teve problemas durante a semana mas foram coisas bem pequenas e rápidas de serem resolvidas. Gasly e Hartley percorreram juntos nesta última semana um total de 498 voltas. No total desta pré-temporada a Honda junto da Toro Rosso fez 822 voltas, um número bem maior do que obtido com a Mclaren no ano passado que foi de apenas 425 voltas.  

Notasse que o motor Honda como o Renault, está tendo mais ou menos o mesmo desempenho apresentado no final da temporada passada, porém motor japonês ainda continua sendo o pior, mas se tratando que hoje eles equipam uma equipe pequena com recursos limitados, qualquer melhora já pode ser vista com bons olhos.

Agora vamos falar da atual campeã da F1 e principal equipe a ser batida, a Mercedes, que nesta semana preferiu focar inteiramente em simulações de corridas, as quais impressionaram o seus rivais. Lewis Hamilton e Valtteri Bottas dividiram as atividades diárias. Ambos que nesta semana marcaram suas melhores voltas com os pneus ultra-macio, com o inglês ficando com o oitavo tempo e o finlandês com o décimo tempo. A Mercedes foi a única equipe a passar das 1000 voltas nesta pré-temporada tendo feito um total de 1040 voltas, fez só nesta última semana de testes 734 voltas, sem ter qualquer problema. 

Entretanto o que mais dificulta no entendimento do forte ritmo da Mercedes em relação aos seus rivais é que eles passaram grande parte dos testes utilizando os pneus médios em suas simulações de corrida, enquanto o restante sempre utilizavam mais de um composto, como acontece e é forçado durante os GPs.

Em relação a Force India, a equipe que terminou o campeonato de construtores de 2017 na quarta posição, deixou muito a desejar no quesito desempenho, já que na semana viu seus pilotos ficarem apenas com o décimo quarto e décimo nono tempo. Porém conseguiram termina a semana como a quarta equipe a completar mais volta com um total de 545 voltas, porém no geral das duas semanas ficaram apenas à frente da Haas e da Mclaren, com 711 voltas.

A Williams deu pinta que nesta temporada vai sofrer muito com a falta de experiência de seus pilotos, já que Lance Stroll tem apenas uma temporada completa na F1 e seu companheiro de equipe Sergey Sirotkin fará sua estréia na categoria. A equipe até completou bastante voltas mas no quesito desempenho viu seus pilotos titulares ficarem apenas com o décimo sexto e vigésimo primeiro tempo, e com isso podemos sim esperar que a Williams inicie essa temporada na parte de trás do grid.

Não muito diferente do ano passado, podemos esperar ver a  Sauber no fim do grid mesmo para este ano tendo os motores Ferrari atuais, e o pupilo da Ferrari, atual campeão da F2, Charles Leclerc que fará sua primeira temporada na categoria.







Share on Google Plus

About Raphael Carvalho

0 comentários:

Postar um comentário